𝖯𝖮𝖱 UMA VIDA LIVRE DE VIOLÊNCIAS

​​𝗔𝗣𝗥𝗘𝗡𝗗𝗘 𝗔 𝗜𝗗𝗘𝗡𝗧𝗜𝗙𝗜𝗖𝗔𝗥 UM ASSÉDIO GRUPAL O 𝗠𝗢𝗕𝗕𝗜𝗡𝗚

É importante aprender a identificar os modos, dinâmicas, causas e efeitos que configuram um episódio de assédio moral e que SEMPRE se repetem. Isso o ajudará a se defender mas, acima de tudo, o ajudará a evitar ser instigador ou colaborador/a.

 

Um mobbing ocorre quando um grupo de pessoas de maneira repetida e sistematica direciona uma bateria de ações sociais negativas contra uma outra pessoa ou grupo de pessoas, com a intenção de levá-las à auto-anulação e a desistência (de sua autonomia, de um trabalho, de uma causa, de um espaço ou propriedade, etc.).


 

𝗢 𝗔𝗦𝗦É𝗗𝗜𝗢 𝗠𝗢𝗥𝗔𝗟 𝗣𝗢𝗗𝗘 𝗧𝗢𝗠𝗔𝗥 𝗔𝗦 𝗦𝗘𝗚𝗨𝗜𝗡𝗧𝗘𝗦 𝗙𝗢𝗥𝗠𝗔𝗦:

 

- [x] Todas as oportunidades são aproveitadas para falar mal das vítimas em público e em privado. Os erros são ampliados e os acertos são ignorados.

 

- [x] Lançamento contínuo de suspeitas, insinuações, boatos e mentiras, muitas vezes com base em fatos reais e características das vítimas que são distorcidas, ampliadas e exploradas.

 

- [x] Uso ostensivo, seletivo e instrumental da indignação e do drama.

 - [x] Criação de uma denúncia o conflito que é usado como desculpa para iniciar ou justificar o assédio.

- [x] Ataques sistemáticos à reputação, honestidade e profissionalismo das vítimas.

 

- [x] Agressões verbais, discurso ofensivo.

 

- [x] A comunicação é interrompida de maneira abrupta e radical. Tática do “stonewalling”.

 

- [x] Discurso confuso, impreciso e contraditório. Uso de falsos dilemas. Uso de "Palavras Talismã".

 

- [x] Uso repetido de ironia, sarcasmo, zombaria; uso de apelidos.

 

- [x] Provocação de sentimento de inevitabilidade e inescapabilidade. Paralização. Os assediadores fazem que as vitimas entendam que qualquer possível movimento que elas fizerem para se defender só aumentaria a intensidade do bullying.

 

- [x] Vigilância nas redes sociais e na vida pessoal e profissional das vítimas em busca de alimentos para novas agressões.

 

- [x] Uso de provocações que, quando respondidas, servirão aos agressores para se apresentarem como vítimas.

 

- [x] Messianismo. Os assediadores costumam usar um discurso moralizante e se posicionam como defensores de uma boa causa. Essa defesa de "boa causa" justificaria os danos infligidos às vítimas do bullying.

 

- [x] Qualquer outra conduta que, reiteradamente, humilhe, desrespeite e a dignidade das pessoas e que busque gerar em seu ambiente indiferença ao sofrimento devido aos danos psicológicos infligidos.

 

𝗡𝗔𝗢 𝗖𝗢𝗟𝗔𝗕𝗢𝗥𝗘 𝗖𝗢𝗠 𝗗𝗜𝗡 𝗠𝗜𝗖𝗔𝗦 𝗗𝗘 𝗔𝗦𝗦É𝗗𝗜𝗢 𝗠𝗢𝗥𝗔𝗟

 

O mobbing só consegue se instalar a partir da colaboração ativa do que é chamado grupo de assédio mas também da colaboração tácita de outras pessoas que ajudam aos instigadores a normalizar o abuso e a transferir a culpa para as vítimas. É frequente que esses colaboradores tácitos sejam “recrutados” no círculo más próximo  das pessoas alvo.

 

O mobbing só consegue ficar no tempo com a cumplicidade das TESTEMUNHAS MUDAS que veem mas decidem desviar o olhar e permanecer em silêncio. Desta forma, toleram que os alvos de assédio fiquem indefesos e que seja possível continuar lhes agredindo à vontade.


 

C𝗢𝗠𝗢 𝗗𝗜𝗙𝗘𝗥𝗘𝗡𝗖𝗜𝗔𝗥 𝗨M 𝗖𝗢𝗡𝗙𝗟𝗜𝗖𝗧𝗢 𝗗𝗘 𝗨𝗡 𝗔𝗖𝗢𝗦𝗢

Conflitos e tensões são inerentes a qualquer ambiente onde as pessoas coexistam. Essas tensões causam problemas e desgastes, mas não precisam atingir a magnitude e a gravidade que a figura do assédio moral acarreta.

Um conflito é um desacordo em que cada uma das partes mantém objetivos legítimos e legais, mas incompatíveis entre si. Num conflito as opiniões criticas convidam ao debate. A opinião crítica pode nos fazer sofrer, mas também nos faz refletir e, portanto, é um instrumento de melhoria.

Em um conflito, portanto, há espaço para mediação. É possível estabelecer um processo no qual X e Y procuram um ponto de resolução possível.

No assédio não é possível mediação porque o objetivo de um dos lados é a anulação do outro. O assédio atormenta, paralisa, consome, faz você desistir. É uma ferramenta de destruição psíquica.

Quando o assédio é instalado, as vítimas e as pessoas que o observam acabam enredados no falso conflito e chegam a uma situação onde parece não haver saída, parece não haver outra solução senão a submissão..

Antes de apoiar uma denúncia nas redes, corrobore você mesmo os fatos, aprenda a distinguir entre uma campanha de denúncia genuína e uma campanha em que a denúncia é usada como desculpa para justificar o assédio; aprender a distinguir entre uma opinião crítica e uma agressão verbal; tenha cuidado se notar que há sinais de crueldade. Pense que em uma situação de mobbing que se espalhou para a praça pública virtual das redes, cada "curtida" tem o efeito de uma pedra atirada nas pessoa que lá estão sendo linchadas.

 

Quando um conflito degenera em assédio, a rapidez na identificação do problema e a resposta do entorno (família, amizades, colegas, chefes, autoridades institucionais, etc.) determinará sua resolução ou seu estabelecimento permanente, com o conseqüente prejuízo na saúde das pessoas alvo.

 

 

𝗔𝗦 𝗖𝗢𝗡𝗦𝗘𝗤𝗨Ê𝗡𝗖𝗜𝗔𝗦 𝗗𝗢 𝗔𝗦𝗦É𝗗𝗜𝗢

Quando o entorno não é capaz de conter os abusos e estes se prolongam no tempo, as consequências costumam ser graves.

 

 “Em geral, quando falamos em assédio moral, os problemas não são apenas aqueles gerados por agressões, perda de saúde, perda de vínculos afetivos, laborais, comunitários, e etc. - mas sobretudo, é a situação de impotência em que se encontram as pessoas alvo que as impede de reagir. Procuram explicações lógicas para os comportamentos dos abusadores, culpam-se, duvidam”. Isso cria uma situação de stresse que gera quadros de ansiedade constantes e persistentes aos quais, com o tempo, serão acrescentados sintomas depressivos, incluindo ideações suicidas. (Hirigoyen, 2014).